Navegador



Balance 
Militar de
América
del Sur 2017
:

Presentación
Prólogo
Comentario
Adelanto
Adquisición

Buscador

Investigaciones sobre Defensa

      RESEÑAS

"Los orígenes del Museo Histórico Nacional", de Carolina Carmans

Apelando a dos enfoques, el de los procesos y el de la biografía, lleva adelante Carolina Carman este interesante libro sobre los orígenes del Museo Histórico Nacional.

resenia_180420_CARMAN.jpg

 

Suscripción a newsletter

Si desea recibir nuestro newsletter, por favor ingrese sus datos.
 
Inicio arrow Análisis arrow Brasil arrow Brasil: Efecto Marina desarticula a opositores

Brasil: Efecto Marina desarticula a opositores PDF Imprimir E-Mail
Ago-28-14 - por Murillo de Aragão
O meteórico sucesso de Marina Silva é estonteante. Mal a semana começou e ela já ia bem nas pesquisas, no debate dos presidenciáveis e no Jornal Nacional. Tudo isso sem grandes anúncios e sem preencher aqueles três ou quatro pré-requisitos de uma campanha presidencial – não tem muito tempo de TV, arrecada pouco, não tem uma forte estrutura partidária. Mas sobra carisma. A cada novo resultado de pesquisa surgem meia dúzia de novas revelações sobre a natureza do “voto Marina”. A soma disso tudo aponta para uma candidata que preenche tantas medidas que desestabilizou os adversários. Na sabatina do Estadão, Aécio Neves começou a bater na candidata do PSB com mais força. “Ouvi recentemente o Gianetti (conselheiro econômico de Marina) dizer que a Marina gostaria de governar com o apoio do Lula e do Fernando Henrique. Mas em que direção? Na da estabilidade ou na do mensalão?”.
 
A presidente Dilma Rousseff se reuniu à noite com o chamado Conselho Político, que agrega nove partidos da base aliada, para traçar nova estratégia para a campanha eleitoral diante do crescimento de Marina Silva nas pesquisas. Dilma afirmou que não pretende mudar a estratégia de campanha, mas alguns de seus aliados acham que hora de ir para rua, mostrar mais serviço, envolver-se mais. Há muito tempo o governo e o PT não tinham essa sensação de dificuldade à frente como acontece agora.
 
Marina está 5 pontos de Dilma e ganharia no segundo turno
 
Pesquisa Ibope divulgada há pouco pelo jornal O Globo revela que a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, está em segundo lugar na disputa pela Presidência da República, com dez pontos de vantagem sobre o tucano Aécio Neves. A presidente Dilma Rousseff (PT) lidera com 34% das intenções de voto. Marina tem 29% e Aécio,19%. Na simulação de segundo turno, Marina venceria Dilma por 45% a 36%; na disputa com o tucano, a petista sairia vitoriosa por 41% a 35%.
 
A pesquisa, contratada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e pela TV Globo, foi realizada entre os dias 23 e 26 deste mês e ouviu 2.506 eleitores. A margem de erro é de dois pontos percentuais. No dia 18, o Datafolha divulgou a primeira pesquisa com Marina no lugar de Eduardo Campos, morto no dia 13 num acidente aéreo. No levantamento, Dilma tinha 36% das intenções de voto, Marina, 21%, e Aécio, 20%. Na simulação de segundo turno, Marina aparecia numericamente à frente da petista, com vantagem de 47% a 43%.
 
Ibope revela que Marina está tecnicamente empatada com Dilma
 
Lauro Jardim, da coluna Radar (veja.com), antecipou há pouco o resultado da pesquisa do Ibope que será divulgado oficialmente às 18 horas: Dilma Rousseff tem entre 31% e 32%, Marina entre 27% e 28% e Aécio Neves entre 18% e 20%. No segundo turno, Marina aparecerá com dois dígitos à frente de Dilma. Ou sejas, Marina está empatada tecnicamente com Dilma Rousseff no primeiro turno, considerando a margem de erro de 2%. A pesquisa foi feita pelo Ibope entre 23 e hoje. Foram entrevistados 2506 eleitores.
 
 
Documentos del CENM
¡nuevo!

Una visión de largo plazo:
Análisis del documento “Tendencias globales 2035” del Consejo de Inteligencia de los EEUU

ACTUALIDAD

ARGENTINA
Tensión con la Justicia y el 24 de marzo

LATINOAMÉRICA
América Latina al culminar marzo

INTERNACIONAL
El mundo entre Trump, Xi y Putin

EVOLUCIÓN SOCIOPOLÍTICA
Balance de la conflictividad social argentina durante septiembre

DEFENSA
Las reservas de las Fuerzas Armadas: una necesidad actual

OPINIÓN PÚBLICA
Una campaña de 20 meses

OPINIÓN
Proyección del bicentenario de Chacabuco

SECCIONES

ARGENTINA

BOLIVIA
BRASIL

CHILE

COLOMBIA
COYUNTURA
CUBA
DEFENSA
EL SALVADOR
EVOLUCION SOCIOPOLITICA
HONDURAS
IBEROAMERICA
INTERNACIONAL
LAS AMERICAS
LATINOAMERICA

MEXICO

MUNDO
NICARAGUA
OPINION PUBLICA
PARAGUAY

PERU

URUGUAY

VENEZUELA

Opinion Publica Indicadores de opinion publica de Argentina Indicadores de opinion publica de Argentina Indicadores de opinion publica de America Latina

Archivo historico banner_cp.jpg


Indicadores